domingo, 25 de julho de 2010

Você que se cuide

Uma família de Jersey passeia no Central Park. Enquanto o pai fotografa a mulher e o filho sorrindo, um galho cai sobre eles. O bebê de dez meses morre a mulher é hospitalizada. Aconteceu em junho.


No mesmo mês, um casal de americanos passeia por Copacabana quando um bueiro explode. A mulher foi arremessada a metros de distância e teve 80% do corpo queimado. Ela e o marido estão internados.

Qual a chance desses acidentes acontecerem? Estatisticamente, probabilidades mínimas. Mas a gente nasce num espirro, vive num sopro, morre num susto.

Qual a chance de eu morrer hoje? Passei dos 40, não sou hipertenso, nem cardíaco, nem diabético. Mas sou sedentário, bebo pequenas doses de álcool quase todos os dias e já fumei inveteradamente.

Tudo o que eu gosto teoricamente faz mal à saúde. A vida é injusta ao cobrar esse preço de quem gosta de beber, fumar, comer junkie food e prefere passar horas numa poltrona do que correndo numa esteira.

É uma pressão diária, incessante, para renunciar ao que gosto. Você, que é geração saúde, já imaginou que saco seria a sua vida se todos os dias você fosse bombardeado com a mensagem de que essa saladinha vai te matar? Olha, essa rúcula é cancerígena, viu? Ou que malhar faz mal? Viver com o pé no freio é muito chato.

No início de julho, morreu o jornalista e produtor musical Ezequiel Neves, um cara que sempre viveu sob o trinômio sexo, drogas e rock’n’roll. Há alguns anos, Zeca lutava contra câncer, enfisema e cirrose, todas doenças influenciadas pelo modo como escolheu viver. Ele morreu aos 74 anos. Não está de bom tamanho? Provavelmente, quando chegar lá, vou querer mais. Minha mãe já passou dessa idade e eu quero que ela ainda viva longamente.

Outro dia, numa conversa, um conhecido ficou fazendo a apologia do “você é o que você come”, e disse “meu corpo é um templo”. Argh! O meu corpo não é um templo. É um parque de diversões.

2 comentários:

Mirelle Siqueira disse...

boa leandro! tb tenho essa idéia de que viver 10 anos a 100km por hora é melhor que viver 100 q 10, mas confesso que chegando aos trinta, passei a me preocupar mais com alimentaçao e exercicios. troquei o oléo de soja pelo de girassol e voilà! o resto, so com prazer mesmo, tanto faz se sentar na frente da tv com porçoes de frituras e doces ou correr no parque. viver bem, é viver feliz!

Carol Nogueira disse...

Hahahahaha! Demais!
Mas, vai... se cuida! ;)