terça-feira, 4 de agosto de 2009

Tô na dúvida sobre o título



Li na BBC que um mexicano tem o nome mais comprido do país e provavelmente um dos mais exóticos do mundo: Brhadaranyakopanishadvivekachudamani Erreh Muñoz.

Não errei a digitação, não. O nome é esse mesmo.

"Brhada", como o chamam os seus amigos, é veterinário no norte do México. Ele diz que carrega seu nome de 36 letras com muito orgulho. Tanto que passou o nome para o seu filho, apenas com uma pequena variação. A mudança está no sobrenome, que foi fundido em uma palavra só: Errehmuñoz.

Tá de sacanagem, né não?

José Refúgio é o pai de Brhadaranyakopanishadvivekachudamani, o primeiro. Esse nomão todo nada mais é do que a combinação do nome de dois filósofos hindus. Seu Refúgio deve ter pensado assim: “O que é um peido para quem já está todo cagado, né?” E aí, batizou o filho.

José, nominho simples, disse que não sabia qual dos nomes dos filósofos escolher, e acabou decidindo unir os dois.

Também no México há uma mulher nascida em 1914 e registrada com mais de 30 sobrenomes. María Saldivar chama-se, oficialmente, María de la Asunción Luisa Conzaga Guadalupe Refugio Luz Loreto Salud Altagracia Cármen Matilde Josefa Ignacia Francisca Solano Vicenta Ferrer Antonia Ramona Agustina Carlota Inocencia Federica Gabriela de Dolores de los Sagrados Corazones de Jesús y de María Saldivar y Saldivar.

Ta de sacanagem, né não? Se eu fosse ela assinaria Maria Etc... Ficava até chique. Enigmático.

O cara com nome mais estranho que eu conheci, estudou comigo no colégio. Chamava-se Wintscéas. E também era Júnior. Gente boa, o Wint. Tô achando o nome dele supernormal agora.

O homem do nome dos filósofos fundidos e a dona Maria 30 nomes parecem também fruto da indecisão dos pais. Na dúvida sobre o nome, eles botam todos.

Mas o cúmulo da indecisão não são esses nomes, nem é você decidir se dá ou não. O cúmulo da indecisão está na placa que ilustra este texto. Talvez. Ou será apenas um anúncio instigante, resultado de genial estratégia, descontado o erro de português? Não sei. Não sei mais nada.

2 comentários:

Rosa Mouta disse...

Talvez, "Talvez" seja o nome da imobiliária. Mas ainda assim teríamos que descontar o erro de português... rsrs

Paulo Renato Souza Cunha disse...

Incrível.

Blog (ou blogue, como queira).

PR