domingo, 22 de agosto de 2010

Humor livre

Condenável é a censura. E não há eufemismo para o que determina a lei eleitoral que proíbe emissoras de rádio e TV de usarem “trucagem, montagem ou outro recurso de áudio e vídeo que, de qualquer forma, degradem ou ridicularizem candidato, partido ou coligação.”


A censura é torpe, deplorável, revoltante, nojenta, vergonhosa e ridícula. Praticamente os mesmos adjetivos aplicáveis a maior parte dos políticos de nosso País.

Não há tema ou tabu que não possa ser objeto de trabalho do humor. Seja política, seja religião, seja grupo social, seja doença, seja tragédia. A piada pode ser boa ou ruim. Engraçada ou idiota. Grosseira ou inteligente. De bom ou de mau gosto. Mas não pode ser vetada.

Hoje, acontece passeata na orla em Copacabana pelo humor sem censura. Os humoristas não podem perder a piada.

Um comentário:

K∂riиє* Smith. disse...

Eu odeio censura e tenho lá minhas resalvas a respeito do humor, prefiro o inteligente sem vulgaridade, mas censura por nada, não rola.

Dia desses , lendo um livro do meu filho do Casseta e planeta, fiquei passada com uma piadinha que dizia que o joãozinho falou que gostava de transar para professora. Acho desnecessário baixar o nível, até porque era direcionado para CRIANÇAS, já a censura adulta, acho que poderia ser feita individualmente e só.