quarta-feira, 18 de agosto de 2010

Eles

Maria e João se casaram e tiveram um menino, o Filho A.
Poucos anos depois, Maria e João se separaram.
Mais adiante, Maria conheceu José, se casaram e nasceu outro menino, o Filho B.
Não tardou e Maria e José se separaram.
Numa reunião de pais e mestres na escola das crianças, João e José tiveram a oportunidade de conversar mais, já que antes só se cumprimentavam naqueles encontros breves entre atuais e ex-cônjuges no rodízio de filhos.
Num chopp na semana seguinte, descobriram muitas afinidades, além de falar mal da Maria.
João e José se casaram e criam juntos os meninos A e B.
Maria faz terapia.
A terapeuta faz cara de parede.

4 comentários:

Mirelle Siqueira disse...

 culpa é sempre da mulher ne? rs

Leandro Wirz disse...

Eu não escrevi isso, Mirelle. De onde vc tirou essa ideia?! Ah, vcs, mulheres, sempre se sentindo culpadas por alguma coisa...
rsrsrsrsrs

Deborah disse...

Olha que eu conheço mulheres que preferem ser trocadas por outro homem; assim, elas não se sentem culpadas ou fracassadas. O marido era gay...

Carol Nogueira disse...

Caraca, essa história é de verdade? Que mundo pequeno, né?