quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Malhação

Em agosto, a Playboy trouxe em sua edição especial de 35º aniversário a perfeita Cléo Pires. Se photoshopada ou não, só as recalcadas se importam. Vendeu uma barbaridade.


No mês seguinte, o ensaio de capa foi com a paraguaia Larissa Riquelme, que, pelo hábito de depositar o celular entre os peitões enquanto torcia por sua seleção, foi catapultada à efêmera fama durante a Copa do Mundo. Sua propalada gostosura era, digamos, paraguaia mesmo. E a invencionice da revista em fazer um ensaio 3D para ser visto com desconfortáveis óculos especiais, não ajudou em nada.

A playmate da edição de outubro é a modelo Nicole Bahls, assistente de palco do programa de humor Pânico. A imprensa de celebridades diz que ela já faturou o filho mais velho do bilionário Eike e o rapper Akon. Nicole faz a linha bombadona superlativa que está na moda: bundão (104 cm de quadril), siliconão, cabelão, narigão, abdomen saradão. Não sou louco de dizer que, por esses atributos quase exagerados, ela deixa de ser gostosíssima.

O que quero mesmo comentar é a resposta dela a uma das perguntas da entrevista/perfil feita pela revista:

- “Você prefere malhar ou fazer sexo?

- Prefiro malhar.”

Ok, então tá, mas depois não reclame se o cara for se entreter com uma mulher que prefira a opção B, “fazer sexo”.

Nicole ainda complementou a resposta:

- “Sexo eu consigo resolver sozinha.”

Puxa, que bom que ela saudavelmente se masturba. Mas não consegue malhar sozinha?!

Um comentário:

K∂riиє* Smith. disse...

Great point!!!

Mas vc sabe que eu acho que se você perguntar para um bombadão a resposta vai ser a mesma?