sexta-feira, 30 de outubro de 2009

The fun theory

A Vokswagen fez na Suécia uma experiência interessante, chamada “The Fun Theory”. A ideia é de que é possível mudar comportamentos por meio da diversão. Na escada de uma estação de metrô, a empresa instalou sensores sob os degraus e fez com que cada degrau parecesse uma tecla de piano. Conforme as pessoas pisavam os degraus, eram emitidas notas musicais. Na hora do rush, deveria rolar uma anárquica melodia atonal, já que ninguém é Beethoven com os pés. Mas tudo bem, o que vale é a diversão.

Resultado da iniciativa: aumento de 66% no número de pessoas que preferiram usar a escada (ou escala) musical ao invés da escada rolante ao lado. Ou seja, preferiram a alegria à comodidade.

E você?

Alegria ou comodidade?

video

2 comentários:

Denise disse...

Será interessante saber quanto tempo a mudança de comportamento vai durar. Provavelmente, quando a escada divertida deixar de ser novidade e já não proporcionar o mesmo nível de "alegria", as pessoas voltarão à comodidade da escada rolante. Ou seja, "The fun Theory" é furada.. ou pelo menos, não é sustentável a longo prazo.

Ciça Calvoso disse...

Eu sou a favor da alegria. Sou capaz de achar mais legal a trilha do que a cachoeira, ou a praia que vêm como recompensa. Mudando um pouco de foco, isso me fez lembrar Brasília, que dizem não ter sido feita para andar a pé. Há controvérsias, claro. Eu acho agradabilíssimo andar a pé pelas superquadras. Porém, entendo as limitações e, nesse momento, gostaria que não fosse tombada. Brasília, para estimular as pessoas a abandonar um pouco a comodidade, devia ter ciclovias, passarelas mais seguras. As pessoas seriam menos sedentárias, poluiriam menos o ar com menos carros, além de liberarem o trânsito e as vagas, hoje escassas. The fun theory é falha, mas cumpre o papel de nos fazer refletir um pouco.